Esta Jovem Salvou 6 Pessoas Do Suicídio

Uma adolescente foi elogiada pelos seus esforços depois de descobrirem que ela salvou seis pessoas de tirarem as suas próprias vidas.

Há apenas quatro meses, Paige Hunter de 18 anos, considerou tirar a própria vida num lugar notório por aqueles que pensavam em suicídio. No entanto, ela foi abordada por dois bons samaritanos que a fizeram lembrar que ela “valia muito mais”.

Transformando a sua própria dor em ação, a brava Paige desde então dedicou o seu tempo a deixar notas coloridas de esperança no mesmo local. E há muitas pessoas que lhe são muito gratas.

Paige estima que deixou cerca de 240 mensagens manuscritas no local, escrevendo palavras de apoio como “você não está sozinho” e “vale muito mais que isso”.

Até agora, Paige está ciente de seis vidas que ela ajudou a salvar, e até recebeu um prémio, pelos seus esforços, da Polícia de Northumbria.

Entrevistada por uma rede televisiva, Paige é largamente elogiada pela sua grande atitude.

Ruth, a entrevistadora, lê uma mensagem de gratidão de uma pessoa anónima que Paige havia ajudado a dar uma “segunda oportunidade na vida”:

Obrigado Paige por não só me dar uma segunda oportunidade na vida, mas por salvar a minha família de passar pela dor. Você ajudou-me a procurar a ajuda e o apoio de que eu precisava, e as palavras não podem descrever o quanto sou grato por uma mulher tão adorável e desinteressada. Se não fosse por você, eu não estaria mais aqui.

Quando questionada sobre o que ela diria a alguém passando por uma situação semelhante, Paige respondeu:

Converse com alguém. Família, amigos ou profissionais. É importante.

Tenho certeza de que muitas pessoas que ouviram a história de Paige se terão inspirado para encontrar os seus próprios meios de alcançar aqueles que podem estar com dificuldades.

Se foste afetado por algum desses problemas e desejas falar com alguém em sigilo, não sofras sozinho.

Neste link encontras as Linhas para a prevenção do suicídio ao redor do mundo.


Histórias destas merecem partilha 💙💙💙

Por Que As Pessoas Alugam Homens De Meia Idade No Japão?

“Você aprende vendo através dos olhos das outras pessoas.” 

“As pessoas vivem muito a sério e isso reduz a sua visão.” 

Esses pensamentos não foram gerados por um algoritmo ou crowdsource no Twitter. São a sabedoria acumulada de um homem de meia-idade no Japão.

Um homem de meia idade que está disponível para alugar.

Vestindo uma camisa com uma estampa de urso panda em miniatura e sorrindo inescrutavelmente, Ken Sasaki, de 48 anos, tem uma vibe que é tudo menos a de um homem de meia-idade descontente de Tóquio.

Com cabelos grisalhos, linhas visíveis no rosto e perda da magreza juvenil, ele é mais como um boémio de espírito livre disfarçado. Ao longo de uma hora de entrevista no Skype, em que os comentários são tediosamente transportados de um lado para o outro por meio de um intérprete, a sua energia e entusiasmo nunca são sinalizados, e suas respostas ficam mais expressivas e pensativas em cada pergunta.

É tudo parte do seu trabalho como um “ossan” alugado, a palavra japonesa para um homem de meia-idade. Ele permite-se ser contratado por qualquer pessoa, para qualquer propósito – não envolvendo contacto físico – desde que paguem o seu salário por hora: apenas 1.000 ienes (cerca de 8euros, 9 dólares, 34 reais). E ele ama isso!

Como em muitas cidades ao redor do mundo, a maioria das pessoas em Tóquio prefere o anonimato quando se trata de seus desejos, necessidades e vulnerabilidades. Os cidadãos urbanos podem estar desesperados para receber conselhos de uma pessoa mais velha e mais sábia, mas eles não querem falar com pessoas mais próximas. Os familiares e amigos podem julgá-los.

É muito melhor derramar as suas mágoas no ouvido de um estranho, ouvir um bom conselho e ir embora…
Foi através dessa lógica que Takanobu Nishimoto, 50 anos, fundou um serviço de aluguer online de “Ossan” em 2012. Alugar um estranho para aconselhamento e uma  reunião em, digamos, um café, significa que nunca terás que o encontrar novamente, ele disse:

“As histórias espalham-se se os clientes conversarem com alguém que conheçam.” 

É aqui que homens como Sasaki entram, dando ouvidos a estranhos enquanto renovam o seu próprio valor na sociedade. A inspiração de Nishimoto veio quando ele ouviu “miudas do liceu a fazer gozo de homens de meia idade”, particularmente pelas suas orelhas cabeludas, e chamando os homens de “fedorentos” e “sujos”.
Anteriormente, de uma forma admirada, a sociedade japonesa era dominada por homens, os “ossan” agora têm que lutar para manter uma reputação positiva na cultura em rápida mudança, onde os valores estão em fluxo.

“Eu pensei, eu preciso recuperar a honra dos” ossan”.”

Embora tenha começado devagar, o seu site tem cerca de 45 alugueis por dia atualmente, ou 10.000 encontros por ano, disse Nishimoto, que trabalha como consultor de moda e estilista quando não está monitorizando o seu site.
O site possui quase 80 “tios” de 36 cidades, incluindo a base de Nishimoto, em Tóquio, além de Kyoto, Osaka e Tokushima.

Nishimoto diz que ele mesmo conheceu ou foi alugado por aproximadamente 5.000 clientes desde a fundação do serviço. O pagamento simbólico é apenas isso: um gesto simbólico que ajuda os clientes e os tios a respeitar a transação.

“A existência do pagamento nos faz fazê-lo corretamente”

Os “ossan” mais populares são homens de aparência gentil que são bons ouvintes, divorciados e aqueles que passaram por um momento difícil.

“Eles podem ouvir, entender a dor do outro”, disse Nishimoto.

Aparentemente, muitos clientes estão com dor psicológica: cerca de 70% usam o serviço para consultas ou conversas, disse Nishimoto, enquanto os outros 30% solicitam ajuda “manual”, como carregar caixas.

 

E tu, alugarias um “ossan” para desabafar as tuas mágoas?
Deixa-nos a tua opinião 😉

A Primeira Foto Em Biquíni, Desta Jovem, Tornou-Se Viral Pelos Melhores Motivos

Lesley Miller lutou contra problemas de peso durante a maior parte de seus 21 anos de existência, mas ela acenou VITÓRIA para os ideais da sociedade que pressiona as mulheres para se encaixarem nos padrões impostos e todos nós podemos aprender uma lição com a história desta jovem mulher.

A corajosa garota de 21 anos mostrou o seu corpo em biquíni, em exclusivo no Facebook, numa tentativa de encorajar as mulheres a “amar o que interessa” e o post resultante tornou-se num sucesso viral.

No texto que acompanha a foto, Lesley conta a história por trás da imagem e logo fica claro que “despir-se” nas redes sociais é um momento marcante na sua vida depois de lutar contra problemas de peso desde os três anos de idade.

Ela participou de reuniões dos Vigilantes do Peso aos sete anos e tornou-se a a pessoa mais jovem a fazer uma cirurgia para perda de peso antes mesmo de ser adolescente.

No seu post ela explica:

“Passei os últimos 18 anos da minha vida à espera. 
Mantive o meu corpo coberto e escondido. Disse a mim mesma que um dia finalmente deixar-me-ia ser vista e faria tudo com que sempre sonhei quando estivesse satisfeita o bastante, magra o bastante, feliz o bastante, confiante o bastante.
Quando o meu corpo parecesse do jeito que era suposto. 

Lutei contra o meu corpo a cada passo do caminho, continuamente envergonhada e silenciosa.

Quando eu tinha três anos, os meus colegas perguntaram por que eu era muito maior do que eles. Por que eu não usava a mesma blusa que eles. 

Quando eu tinha sete anos, menti à senhora dos Vigilantes do Peso, desesperada por participar das  reuniões. 

Quando eu tinha nove anos, fui ao acampamento de perda de peso e fiquei na fila na primeira semana para tirar a minha foto do ‘antes’. 

Quando eu tinha 11 anos, o cirurgião cortou o meu estômago e disse-me o quão feliz eu finalmente seria “. Era a mais nova pessoa a fazer uma cirurgia para redução de peso.

Aos 15 comecei a auto-mutilar-me, cortando a pele. Achava que merecia.

Quando tinha 20 perdi metade do peso em 9 meses. Os valor de cada dia dependia se o peso perdido era maior que no dia anterior.

 
E depois cansei-me de esperar.
 
Agora, estou com 21 anos e comprei o meu PRIMEIRO biquíni.
 
Podem ver tudo. Formas estranhas e rolos de gordura, excessos de pele pendurados, Estrias, celulite, cicatrizes de cirurgias e de auto-mutilação. Uma protuberâncias estranhas no meu abdómen devido à banda gástrica.
 
Quero aprender a amar-me num todo, não apenas as partes que me ensinaram serem aceitáveis. Porque o segredo, eu sempre fui o bastante, e tu também és.”

Gostaste desta história? Partilha com os teus amigos e ajuda-nos a crescer 💙💙💙

Há Idiotas A Atirar Água a Ferver Em Si Mesmos No Novo Desafio "Água Quente"

Uma das primeiras lições que aprendemos quando crianças é evitar o perigo a todo custo. Afinal, quando nos machucamos, mesmo que seja apenas um arranhão, dificilmente nos deparamos com uma sensação agradável.

A dor dói por um motivo. É a maneira de o nosso corpo nos dizer que algo está errado e, embora a auto-mutilação seja algo em que muitas pessoas se tornam viciadas, tentar lidar com um trauma emocional profundo é muito diferente de se machucar deliberadamente em uma tentativa de se tornar viral na internet.

Mas em 2018, a fama viral, para algumas pessoas, é reverenciada acima da segurança pessoal, e se houver desafios online, inúmeras pessoas ao redor do mundo estão dispostas a arriscar tudo por visualizações e curtidas – mesmo que isso signifique uma morte lenta e dolorosa.
Caso em questão, o desafio Tide Pod: porque comer detergente é uma maneira infalível de acabar como um famoso da internet … e na sala de emergência.
Ou, se queres evitar a morte, mas ainda queres acumular aqueles gostos tão preciosos, então talvez o Desafio da Placa Elétrica seja mais a tua onda. É desnecessário dizer que as pessoas por trás desses desafios virais não são exatamente os mais brilhantes da caixa. Adorável!
Agora, há um novo exemplo online de seleção natural em ação: o Desafio da Água Quente.
Se fores estúpido o suficiente para participar do Desafio da Água Quente, precisarás começar a busca para obter queimaduras de terceiro grau fervendo um pouco de água. Mas o que torna esse desafio tão incrivelmente horrível (sim, por mais difícil que seja acreditar, na verdade é pior do que os desafios do Tide Pod e do Hot Coil) é o fato de as pessoas terem três opções sobre o que fazem com a água quente.
Em primeiro lugar, podem optar por jogar sobre si mesmos, ou, se tiverem preferência pelos órgãos internos, podem beber. Ou, como levou à hospitalização de numerosas pessoas, podem jogá-la sobre outras pessoas sem o consentimento delas.
Agora, a maioria de nós podemos dizer que, se fomos abordados por um estranho na rua e esfaqueados, provavelmente não ficaremos muito felizes com isso, e ter água a ferver sobre ti Não é diferente.
Para ver alguns idiotas de primeira classe a fazer o Desafio da Água Quente, confere o vídeo.
O desafio não tem nada de divertido, na melhor das hipóteses, só para observar as pessoas estúpidas a fazê-lo a si mesmas, os efeitos que tem sobre aqueles que estão sujeitos a isso sem o seu consentimento são devastadoras, e isso foi sintetizado pelo que aconteceu com este adolescente de Indianápolis.
Kyland Clark, de quinze anos, disse que a sua experiência começou com a atividade aparentemente inócua de assistir vídeos do YouTube com pessoas que ele achava serem seus amigos. Foi ao fazer isso que eles se depararam com o Desafio da Água Quente.
Então, depois de Kyland adormecer, o seu “amigo”, que não pode ser nomeado por razões legais, fez isso com ele “como uma piada”.
O garoto de 15 anos acordou em agonia, tendo sido sujeito a queimaduras de segundo grau e foi posteriormente hospitalizado por uma semana. Agora em casa, ele compartilha a sua história numa tentativa de desencorajar as pessoas de participar do desafio.
“Há um limite para o que deves fazer num desafio e o que não deverias. Não leves isso ao extremo”, disse Kyland à WLTW.
Aqui, Kyland relata a sua terrível provação:
Para te colocar no contexto do que Kyland sofreu , existem três camadas para a pele humana – a epiderme (parte superior), derme (meio) e hipoderme (parte inferior). As queimaduras de primeiro grau afetam a epiderme e as queimaduras de terceiro grau afetam a hipoderme.
Considerando que as queimaduras de segundo grau sofridas pela criança de 15 anos afetam a epiderme e a derme – esta última está repleta de terminações nervosas, vasos sanguíneos e glândulas sudoríparas.
Esse tipo de queimadura pode causar derme, o que aconteceu com Kyland. Ele disse que quando ele acordou com dor, a sua primeira reação foi arrancar a camisa e correr para o chuveiro para água fria. “Então eu olhei para o meu peito. A  minha pele caia do meu peito, e então eu olhei ao espelho e tinha a pele a cair no meu rosto”, disse Kyland à WLTW.
Por causa da gravidade desses ferimentos, Kyland está agora coberto de ligaduras e tem que aplicar regularmente pomada.
Se as queimaduras de segundo grau forem mantidas limpas o suficiente, elas podem cicatrizar em cerca de duas semanas.
Embora a maioria de nós possa atestar receber algum grau de gratificação por ter um post de média social popular, acho que todos podemos concordar que qualquer um que esteja disposto a arriscar a sua segurança – ou a de outra pessoa – pela fama viral não é nada mais que um estúpido, idiota.
Então, para não embaraçar a raça humana, por favor, não façam o Desafio da Água Quente.

Comenta o que achas sobre este artigo. Achas interessante?
Partilha com os teus amigos.

Professora de 64 Anos é Confundida por Jornalistas e Torna-se Modelo

Lyn Slater tem 64 anos e veste-se melhor que tu ou eu!
Nalgum momento da vida aprendemos que, com a idade, vem a sabedoria mas o envelhecimento não costuma fazer com que as pessoas se virem para olhar com admiração, enquanto se caminha pela rua. No entanto foi exatamente o que aconteceu com Lyn Slater!
Lyn é conhecida, atualmente, por “Ícone Acidental”, depois de ter sido confundida com um ícone da moda, pelos jornalistas, enquanto esperava por uma amiga para a semana da moda.
Foi descoberta por ser ela própria, a mulher mais velhas cujas roupas se encaixam e bajulam a sua atitude.

Numa entrevista com o Buzzfeed, Slater diz que, à medida que as mulheres envelhecem, elas tendem a se tornar invisíveis, mas ela nunca se sentiu tão visível em toda a sua vida como agora.

Tudo começou durante uma semana de moda em Nova York, quando Slater estava vestida “da cabeça aos pés” com Yohji Yamamato e uma rara bolsa Chanel a tiracolo. Ela estava de pé, esperando por uma amiga para se juntar a ela. As pessoas começaram a fotografar Slater, supondo que ela estivesse na indústria da moda. Sua amiga chegou, viu Slater cercada de pessoas e exclamou que ela era um ícone acidental.
Este foi o nome que escolheu para dar ao seu blog e ao seu Instagram, onde defenda a ideia de que “se te sentes confortável com o que vestes, a idade não importa”.
Uma publicação partilhada por Accidental Icon (@iconaccidental) a 10 de Jan, 2018 às 3:45 PST

Atualmente, ela tem contrato com a Elite London, empresa líder mundial no ramo de modelos, e já trabalhou com marcas como Mango e Uniqlo.

Gostaste desta história? Deixa-nos a tua opinião comentando abaixo.
Partilha com os teus amigos.
Ajuda-nos a crescer 💚💚💚

Uma Jovem Usou Um Tampão Durante 9 Dias E Quase Morreu

Uma estudante pensava que estava doente devido ao stress do exame e na verdade estava com a síndrome do choque tóxico depois de, acidentalmente, esquecer o seu tampão colocado durante nove dias.

Emily Pankhurst de 20 anos passou três dias nos cuidados intensivos, onde os médicos lhe disseram que esteve muito perto da morte. Agora, com grande esforço para aprender a andar de novo, e um cansaço extremo de todas as batalhas passadas, a estudante fala sobre a sua experiência numa tentativa de salvar outras jovens mulheres a não passar pelo mesmo trauma que ela experimentou.

Emily pensava que a fadiga e as dores de cabeça que sentia se deviam ao stress da altura dos exames da universidade.

Só quando se apercebeu de um corrimento anormal resolveu ir ao médico que a mandou para casa sem fazer um exame interno. Foi a sugestão da mãe que a levou a examinar-se e ver se não teria esquecido um tampão. O choque foi grande quando retirou um tampão totalmente preto, revestido de bactérias, esquecido havia 9 dias.
Só meia hora depois de retirar o tampão é que Emily começou a piorar, sentindo frio, confusa e com uma dor de cabeça forte, até que ficou incapaz de abrir os olhos. Foi levada para o hospital numa ambulância, a pressão continuou a baixar e ela foi considerada um estado de emergência, devido ao sindrome de choque tóxico.

A Síndrome do Choque Tóxico é uma infecção rara causada, normalmente, pelas bactérias Staphylococcus aureus e Streptococcus pyogenes.

Esses microrganismos são inofensivos quando vivem fora do corpo, na pele, nariz ou boca. Porém, quando invadem a corrente sanguínea podem liberar toxinas venenosas que causam danos nos tecidos além de perturbarem o funcionamento de órgãos vitais. Em alguns casos, as vítimas têm que ser amputadas, noutros, pode levar à morte.
“As meninas da minha idade não estão cientes dos perigos do uso de tampões. É tão importante ficar de olho na sua saúde, especialmente durante experiências estressantes da vida. Espero que a minha história possa ajudar outras como eu a cuidar da sua saúde e não pense na sua vida como garantida porque nunca sabes o que pode estar ao virar da esquina.”
O que pensas sobre este assunto? Alguma vez te aconteceu, a ti, de esqueceres um tampão?
Conta-nos a tua experiência e partilha esta história se achas interessante 😊

Caminhou 30km Para Chegar Ao Trabalho e Ganhou Um Carro

Não se tornou viral por ser mais uma história bonita mas por ser um exemplo de humildade e compromisso e porque mostra ao mundo que nenhum obstáculo nos pode impedir de chegar onde desejamos.

Uma história com um final feliz!
“Ontem foi um longo dia. Mas um bom dia. Chris e eu acordamos por volta das 5:45 da manhã para preparar tudo para as mudanças. Por volta das 6:30 da manhã, a campainha tocou. Era um policia. Ele começou a dizer-nos que tinha pegado “esse garoto porreiro” em Pelham ao inicio da manhã. “O garoto porreiro”, Walter, disse que nos vinha ajudar com a nossa mudança hoje. Era o seu primeiro dia de trabalho com esta empresa de mudança (Bellhops) e ele estava “experimentando” hoje.
O policia começou a contar-nos que na noite anterior o carro de Walter avariou e ele não sabia como ir para o trabalho. Então ele saiu de Homewood à MEIA-NOITE e começou a CAMINHAR para Pelham pela 280. Caminhou toda a noite para ir de Homewood a Pelham. Porque precisava de começar a trabalhar.

Para aqueles que lêem isso e não são locais, são mais de 20 milhas (cerca de 30km). Era visível a admiração que o policia tinha por Walter e pela minha reação ele percebeu que eu também. O policia disse que o apanharam naquela manhã bem cedo, o levaram para tomar uo pequeno-almoço e assim que confirmaram a sua história, trouxeram Walter para nossa casa. Nós nos apresentamos a Walter e dissemos ao policia que ele podia ficar connosco até o resto da equipa chegasse. Perguntei ao Walter se ele queria subir e descansar até que todos os outros chegassem. Ele recusou e disse que poderia ir em frente e começar. Então ele começou a trabalhar ao lado de Chris e eu antes que o resto da equipe chegasse.

Conversávamos enquanto íamos trabalhando. Ele adorou minha cozinha e dizia que era exatamente o tipo de cozinha que ele queria. Ele era de Nova Orleans. Ele e sua mãe perderam a casa no furacão Katrina e vieram morar em Birmingham. Perguntei-lhe se ele estava cansado de toda aquela caminhada e ele respondeu que não que tinha dormido uma soneca de 4 horas antes de partir à meia-noite. Ele disse que chegou a Hoover por volta das 2 da manhã e depois a Pelham por volta das 4 da manhã, foi quando o policia o pegou e o levou para tomar o pequeno-almoço.

Usava umas sapatilhas pretas da Nike, comentou que as calçou intencionalmente, sabendo que tinha que passar por uma erva alta, na sua caminhada noturna. Ele olhou para mim nos olhos e sorriu e eu senti como se o conhecesse há muito mais tempo. Ele era um fuzileiro naval. Não consegui saber mais da história. O resto da equipa chegou e então a loucura começou.
… Não consigo imaginar quantas vezes nessa caminhada solitária, no meio da noite, ele quis voltar atrás. Quantas vezes ele se perguntou se essa era a melhor ideia. Quantas vezes ele queria encontrar um lugar para se sentar ou deitar e esperar até de manhã, quando poderia pedir a alguém para ir buscá-lo e trazê-lo de volta para casa. Mas ele andou até chegar aqui!
Quando a equipe chegou, um por um, eu os vi interagindo na rua em frente à nossa casa. Apertando as mãos um do outro e todos eles tão alegres e prontos para o dia quanto o Walter. Walter e eu saímos da casa e um dos ajudantes, Shawn, viu-nos e disse a Walter: “Você deve ser um dos recrutas … deixe-me apertar sua mão. Obrigado por aparecer!
…Eu olhei para Shawn e disse: “você não acreditaria no que ele fez para chegar até aqui. Diga a ele Walter ”. Walter disse “eu andei”. Foi isso. Humilde. Pedi-lhe para compartilhar um pouco mais e quando o fez, a equipe ficou, também, impressionada com ele! Eu não sei se Walter teria compartilhado se eu não tivesse pedido a ele. ”
E porque as histórias do bem, acabam sempre bem, a do Walter não termina aqui.
A autora desta publicação, Jenny Lamey, criou uma campanha de angariação de fundos para ajudar o Walter Thank You Walter.
E o diretor da empresa, ao saber da incrível história de Walter, ofereceu-lhe um carro para ele poder ir para o trabalho sem ter que percorrer 30km , a pé.
O que achaste desta história? Comoveu-te?
Diz-nos o que pensas. Deixa o teu comentário e se achas que merece, partilha a história do Walter 😊

Última Carta De Amor "A Má Noticia é Que Aparentemente Estou Morta"

Já lá vão quase 3 anos que li esta postagem no Facebook. Foi mais umas daquelas histórias que tocaram emocionalmente as pessoas e que se tornou viral.

Hoje, ao vasculhar os meus rascunhos, achei que devia partilhar convosco…
A norte americana Heather recebeu um diagnóstico terminal em Agosto de 2014 e desde então passou a escrever cartas para a sua filha. Quando morreu, no mês de Dezembro, Jeff, o seu marido, partilhou no Facebook a carta que ela deixou para a família e amigos.

“Então… tenho boas e más notícias. A má notícia é que, aparentemente, eu estou morta.

A boa notícia é que, se estás a ler isto, é porque definitivamente tu não estás (a não ser que tenham wifi no além). Concordo, é uma porcaria. É uma porcaria sem tamanho, mas sinto-me muito feliz por ter vivido uma vida tão repleta de amor, alegria e amigos incríveis. Tenho sorte em poder dizer, com toda a sinceridade, que tenho zero arrependimentos e que gastei todas as minhas energias tentando viver a vida ao máximo.

Eu amo todos vocês e agradeço a cada um por ter dividido comigo momentos maravilhosos.

Qualquer que seja a tua religião, eu fico feliz que ela te traga algum consolo. Mas peço que respeites o facto de que nós não somos religiosos. Então, por favor, não diga a Brianna que estou no céu. Na cabeçinha dela, isso significa que eu escolhi estar noutro lugar, que eu a deixei. Na verdade, eu fiz tudo o que pude para ficar junto dela e não há nenhum, NENHUM outro lugar em que eu preferiria estar do que ao lado dela e de Jeff. Por favor, não a confundam, não a façam pensar, nem por um segundo, que isso talvez possa não ser verdade. Porque eu não estou no céu. Estou aqui. Só não estou nesta porcaria de corpo que se virou contra mim. A minha energia, o meu amor, o meu riso, e todas aquelas lembranças incríveis, está tudo aqui com vocês. Por favor, não te lembres de mim com pena ou com tristeza.

Sorri, sabendo o tanto que nós nos divertimos juntos, sabendo que o tempo que passamos juntos foi maravilhoso. Eu detesto deixar as pessoas tristes.

Mais do que qualquer coisa, eu adoro fazer as pessoas rirem. Então, por favor, ao invés de ficares a remoer a tragédia da minha morte, ri das lembranças que criámos juntos e do quanto a gente se divertiu. Por favor, conta histórias para a Brianna, para que ela saiba o quanto eu a amo e como sempre vou me orgulhar dela (e faz-me parecer muito, mas muito mais “fixe” do que sou). Porque não há nada na vida que eu ame mais do que ser a mãe dela. Nada. Cada momento que eu passei com ela foi uma felicidade que eu não imaginava existir até que ela apareceu na minha vida. E não digas que eu perdi a batalha contra o cancro. Porque o cancro pode ter tirado tudo de mim, mas ele não tirou o meu amor, a minha esperança ou a minha alegria. Não foi uma batalha, foi simplesmente a vida. Muitas vezes ela é brutal e injusta, e é assim que as coisas são.

Eu não perdi, caramba. Eu considero a forma como vivi com cancro, durante anos, uma vitória enorme. Por favor, lembra-te disso.

E o mais importante, eu tive a sorte de passar mais de uma década com o amor da minha vida e com o meu melhor amigo, Jeff. Almas gémeas existem. Cada dia com Jeff ao meu lado foi hilariante e repleto de amor. Ele é, com certeza, o melhor marido do universo. Durante toda essa porcaria de cancro, ele nunca vacilou, mesmo naqueles momentos em que a maioria das pessoas iria querer fugir. Mesmo nos piores dias imagináveis, encontrámos uma forma de rir juntos. Eu o amo mais do que a própria vida e acredito sinceramente que esse amor, de tão especial, só pode ser eterno.

O tempo é o que há de mais precioso neste mundo, e eu sou muito grata por ter partilhado tantos anos da minha vida com Jeff. Eu amo-te.

E eu acredito que a nossa filha é uma encarnação desse amor. Só de pensar que vou ter que me despedir de vocês, isso parte o meu coração. E se a tua tristeza for a metade da minha, meu coração se parte de novo, porque a última coisa que eu quero nesta vida é fazer-vos sofrerem. Eu espero que, com o tempo, vocês possam pensar em mim com um sorriso porque, caramba, tivemos uma vida incrível. Então pesquisem aí o “Physicist’s Eulogy” no Google e saibam que é um facto científico: eu vou estar sempre com vocês. Eu sei que, se vocês pararem e prestarem atenção, vou estar aí (da forma menos assustadora possível). Vocês são o meu mundo e não há palavras que descrevam o quanto eu amei cada instante que passámos juntos.

Amigos, eu amo-vos a todos e agradeço a cada um por uma vida inacreditável.

E obrigada a todos os médicos e enfermeiros maravilhosos que cuidaram tão bem de mim. Eu não duvido que a minha equipe médica fez tudo o que pôde. Do fundo do meu coração, eu desejo a todos uma vida longa e saudável, e eu espero que vocês possam sentir a mesma gratidão que eu sinto por cada dia vivido. Se fores ao meu enterro, por favor assegura-te de que a conta do bar esteja à altura da ocasião. Liga o som, toca “Keg on My Coffin” (Barril de cerveja no meu caixão) e dança em cima da mesa (em algum momento é bom que haja alguém dançando).

Celebra a beleza da vida com uma festa de arromba porque é isso que eu gostaria.

Eu acredito que, de alguma maneira, eu vou encontrar um jeito de estar lá também (sabes que detesto perder uma boa festa). E como eu estou aguardando ansiosa a oportunidade de assombrar-vos a todos, na verdade isto não é um adeus, e sim um até breve. Por favor, faz apenas uma coisa por mim: tira alguns minutos cada dia para celebrar essa aventura frágil e louca da vida. E nunca te esqueças: cada dia importa.”
Embora tenha o link da postagem original, vou deixar no anonimato. Não quero mexer nesta dor que é o luto, depois deste tempo passado.
O que acharam desta carta, incrível, não é? Deixem o vosso comentário e, se acham que vale a pena, partilhem 😉