Para Seres Feliz… Desiste!


“Se queres ser feliz, tens que deixar de lado a parte de ti que quer criar melodrama. Esta é a parte que pensa que há uma razão para não seres feliz. Tu tens que transcender o pessoal e, ao fazer isso, naturalmente despertarás para os aspectos mais elevados do teu ser .” – autor do best-seller do New York Times “The UnTethered Soul”, e fundador de centro de meditação, Michael Singer

O que é felicidade?
“Não é o que tu tens ou quem tu és ou o que estás a fazer que te faz feliz ou infeliz. É o que tu pensas sobre isso. ”- Dr. Stephen Covey
Felicidade é um padrão e uma visão do mundo, que está no nosso controle.

Pessoas felizes acabam tendo vidas felizes – vidas felizes não acabam fazendo pessoas felizes.

Como o autor de Sapiens, Dr. Yuval Noah Harari, disse:

“Nós tendemos a acreditar que se pudéssemos mudar o nosso local de trabalho, comprar aquele carro ou terminar de escrever esse romance, estaríamos no topo do mundo. No entanto, quando conseguimos o que desejamos, não parecemos estar mais felizes. Comprar carros e escrever romances não muda a nossa bioquímica. Estes podem surpreender-te por um momento fugaz, mas logo está de volta ao seu ponto de ajuste.
Pessoas felizes são felizes, independentemente dos eventos externos que estão a enfrentar.”

Eles são os tranquilos resilientes que são capazes de enfrentar as mais infelizes das circunstâncias externas e superá-las.

Isto é evidente a partir de milhões de pessoas que voltam da guerra, enfrentam dificuldades extremas, vêm da pobreza e conseguem superar e viver uma vida feliz de compaixão.

Em suma, o hábito da felicidade leva à resiliência e a resiliência é a chave para cultivar uma vida feliz.

Demora trabalho para manter esse padrão? Absolutamente. E a última coisa que estou a tentar dizer é que é fácil.

O que eu quero destacar é que apenas o poder que vem de ser um ser humano sensível, permite que a nossa sofisticada consciência que nos fez a espécie vencedora – permitindo-nos planear futuros aprendendo com o passado – também vem com uma sofisticada desvantagem de pensar constantemente no passado e do anseio pelo futuro – que muitas vezes cria angústia e infelicidade para muitos.

Como o Dr. Harari continuou dizendo na sua exploração da felicidade humana:

“Somos muito mais poderosos que os nossos ancestrais, mas somos muito mais felizes? Não parece. Em comparação com o que a maioria das pessoas na história sonhou, podemos estar a viver no paraíso. Mas, por algum motivo, não sentimos isso. ”

Vê abaixo o que pode estar a empatar a tua felicidade e com esta lista e muito treino ela fica bem mais perto da porta… A FELICIDADE!

1. Desiste de adiar para ser feliz

“Estamos condicionados a sacrificar deliberadamente a alegria no momento, em prol de recompensas no futuro que acreditamos que nos trarão felicidade. No entanto, quando chegas ao teu futuro, ainda estás infeliz porque estás sempre à procura de outro ponto em que ficarás feliz e satisfeito. É a qualidade do teu momento presente agora, que determina a qualidade do teu futuro, porque o teu futuro também acontece no presente.”- Dr. Robert Anthony

Tudo o que existe é o momento presente. O teu futuro só pode ser tão bom quanto a qualidade do teu momento presente agora, então tu também podes ser feliz quando atingires as metas do momento presente no futuro.

Toma uma decisão com uma meditação de dez segundos como a primeira coisa que fazes quando sais da cama, não importa o que aconteça hoje e como tu te sentes (tu podes sentir-te mal, mas ainda assim ser feliz), tu serás feliz para fazeres a felicidade acontecer, não importa o quê.

Isto é como um músculo que precisa ser fortalecido, então quando alcanças outro ponto no tempo (frequentemente bem sucedido), podes estar presente também – porque todo  o evento futuro rapidamente se torna no evento de ontem e como humanos nós somos conectados para perguntar “o que vem a seguir?” quase todos os dias.

Não cometas o grave erro de acreditar que só serás feliz se alcançares o topo da montanha.

Desiste do teu adiamento para ser feliz!

2. Desiste da tua vitimização

“As pessoas simplesmente refletem os seus sistemas internos de crenças.” – Dr. David Hawkins

É compreensível que seja fácil de te convenceres que és uma vítima de um mundo feio, embora isso seja uma conversa fiada.

O mundo é como tu o percebes e a tua realidade é criada pela lente que cria a tua visão do mundo.

Tu vês o mundo com a tua mente, não com os teus olhos – então, isso está parcialmente sob o teu controle.

Além de todos os dados massivos mostrando que as pessoas estão a tornar-se mais amorosas e compassivas à medida que a humanidade evolui, conseguir o que tu queres está sob o teu controle absoluto.

Se queres ser tratado com respeito, tenta acreditar que todo mundo já te respeita e vê o que acontece.

Tu alicias o comportamento nos outros com base na forma como te comportas, e como  te comportas é baseado em como tu pensas. Então pensa com sabedoria e verifica no que acreditas se não estiveres onde desejas estar.

Anota 25 coisas em que tu acreditas. Essa lista refletirá a tua realidade.

Se quiseres mudar a tua realidade, muda essa lista para 25 coisas que tu querias que fossem verdade.

Então comece a acreditar nelas. Esta é a definição de hipnose e porque funciona. A hipnose está apenas a mudar a crença sobre alguma coisa.

Este fato difícil é fortalecedor, e se tu não acreditas em mim, tenta.

Como é que eu sei que isso é verdade? Porque há outras pessoas que vêem ao mundo como positivos, amorosos e abundantes. E o que um homem pode fazer, outro homem pode fazer também.

Desiste da vitimização!

3. Desiste da tua falta de sentido

“O propósito da vida, tanto quanto eu posso dizer… é encontrar um modo de ser que seja tão significativo que o fato de que a vida esteja sofrendo não seja mais relevante.” – Dr. Jordan Peterson

A vida significa o que tu queres que signifique e tu tens o poder de criar o seu próprio significado.

Isso é um luxo. Corre à vontade com isso e escolhe comprometeres-te com algo tão profundamente que faz do sofrimento uma reflexão tardia.

O que podes tu viver, pelo qual vale a pena morrer?

Quando é que te forçaste a sair da cama às 5 da manhã porque estavas excitado com algo?

É sobre contar histórias e decidir criar a tua.

Somos o único mamífero sofisticado o suficiente para fazer isso por causa da nossa bênção da alta consciência consciente.

Os esquilos só sabem guardar nozes e sobreviver ao inverno.

As aves só sabem voar e viajar para climas quentes.

Isso não depende deles, é o seu instinto de sucesso – os seus objetivos de como sobreviver são determinados.

Somos o único mamífero que pode escolher e planear metas ultra-complexas. Isso vem com os benefícios e, como sabemos agora, é uma maldição.

Imagina-te no teu leito de morte e imagina o significado que querias que a tua vida tivesse, agora escreve a história e sai e vive-a.

Tu és um herói e um mito e ninguém pode dizer o contrário.

Desiste da tua falta de sentido!

4. Desiste da tua busca pela felicidade

“O oposto da depressão não é felicidade, mas vitalidade e resiliência.” – Andrew Solomon – Um Atlas da Depressão

Não existe tal coisa como “alcançar a felicidade”, há uma vida feliz.

Não existe algo como “alcançar a felicidade”, há conteúdo e satisfação.

Não existe algo como “alcançar a felicidade”, existe estar feliz.

Todos estes estão disponíveis para nós agora, não importa qual seja a nossa situação.

Se tu estás no fundo do poço, reconhece que, no fundo do poço, o único caminho a percorrer é para cima e isso geralmente é necessário.

É por isso que o treinador e estrategista de vida número 1 no mundo sempre diz:

“Vê, não é o que está a acontecer contigo agora ou o que aconteceu no passado que determina quem te tornas. Em vez disso, são as tuas decisões sobre em que focar, o que as coisas significam para ti e o que tu vai fazer a respeito delas, que determinarão o teu destino final. ”- Tony Robbins

Usa situações dolorosas para aprenderes e tornar-te mais resiliente.

É a história que tu dizes a ti mesmo que importa – e seguir em frente, não importa o que aconteça, conta uma história de glória e superação.

Esse é o padrão de reação que tu precisas de adotar e criar um hábito.

Este é o segredo dos resilientes de quem tu ouves falar que superaram dificuldades para continuar e viver vidas felizes.

Desiste da tua busca pela felicidade!

5. Desiste da tua culpa

“A culpa é talvez a companheira mais dolorosa da morte.” – Coco Chanel

O lendário psiquiatra Dr. David Hawkins concluiu, após um período de vida de estudo, que todo o pensamento ou sentimento negativo está associado à culpa e, como resultado, constantemente gastamos tempo suprimindo-o.

Há culpa inconsciente toda vez que temos um pensamento negativo sobre alguém que está sempre julgando e criticando a nós mesmos e aos outros.

Para abandonar a culpa, inspira e reconhece a culpa e honra a sua existência, imagina-a a sair do corpo.

Não importa o que estamos a fazer, achamos que deveríamos estar fazendo outra coisa.

Deixa de lado a culpa, o dia todo e todos os dias e decide nunca mais te sentires culpado, não importa o que faças, como te sentes ou o que acontece.

Não é produtivo.

Desiste da tua culpa!

E vai ser feliz!

2 thoughts on “Para Seres Feliz… Desiste!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.