Curiosidades

Beber Regularmente, Com Moderação, Aparentemente Reduz O Risco De Demência


O álcool, com toda a razão, é considerado prejudicial por médicos, cientistas e pelo teu fígado. Os últimos anos trouxeram cada vez mais estudos que mostram como o álcool, mesmo com moderação, é um inimigo da boa saúde.

Por outro lado, um novo estudo sugeriu que beber uma bebida alcoólica por dia poderia reduzir o risco de demência. Mas nada de”aplausos!” ainda pode não ser tão simples quanto parece à primeira vista.

Uma pesquisa publicada no British Medical Journal acompanhou mais de 9.000 pessoas britânicas nos últimos 23 anos, examinando a ligação entre o consumo de álcool e o risco de demência. Este estudo observacional – que não procurou uma causa e um efeito específicos – descobriu que as pessoas de meia idade tinham um risco 45% maior de desenvolver demência, em comparação com as pessoas que bebiam entre uma e 14 unidades de álcool a cada semana.

O mecanismo subjacente não está claro, por isso seria uma tolice pensar que é tão simples quanto emborcar uma cerveja por noite que manterá o teu cérebro saudável, pois pode haver muitos fatores de estilo de vida diferentes em jogo.

No entanto, o estudo definitivamente levanta algumas questões interessantes.

“Este estudo é mais uma demonstração do aumento dos riscos enfrentados pelos abstémios de álcool em comparação com os bebedores moderados”

observou o professor David Spiegelhalter, professor da Winton de risco público na Universidade de Cambridge, que não esteve envolvido no estudo.

“É claro que os abstémios podem ser diferentes de muitas maneiras além de não consumir bebidas alcoólicas, e parece importante entender as razões para essas associações robustas e importantes.”

A Dra. Sara Imarisio, chefe de pesquisa da Alzheimer’s Research UK, também apontou:

“As pessoas que se abstêm completamente do álcool podem ter um histórico de consumo pesado e isso pode dificultar a interpretação das ligações entre beber e saúde”.

Embora este estudo não tenha procurado uma causa subjacente a essa correlação, estudos separados sugeriram um deles.
No início deste ano, pesquisadores da Universidade de Rochester, em Nova York, realizaram um experimento com camundongos – não humanos – que descobriu que baixos níveis de álcool parecem estimular o sistema glifático, conhecido como o sistema de eliminação de resíduos do cérebro. Durante o sono, o sistema glifático “liberta” as toxinas criadas pelo cérebro. Por sua vez, isso pode parar o acúmulo de beta-amilóide, uma proteína pegajosa encontrada no cérebro de pessoas com doença de Alzheimer.

Dito isso, como observa o editorial do BMJ no jornal: “É complicado”.

“Este estudo é importante porque preenche lacunas no conhecimento, mas devemos permanecer cautelosos e não alterar as recomendações atuais sobre o uso de álcool com base apenas em estudos epidemiológicos”, 

continua.

“Em resumo, o consumo moderado de álcool pode beneficiar a saúde do cérebro; no entanto, na opção do consumo de álcool deve ser levado em conta todos os riscos associados, incluindo doença hepática e cancro. ”

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s